Redes Sociais:

EMPRAD

Encontro dos Mestrados e Doutorados Profissionais em Administração

Operações

Coordenadora

Profa. Dra. Dafne Oliveira C. de Morais
Lattes

FEI

Temas

Gestão Estratégica de Operações e Cadeia de Suprimentos e a Indústria 4.0

Líder

Profa. Dra. Gabriela Scur
Lattes

Centro Universitário FEI

Descrição do tema

A Indústria 4.0 é a integração técnica dos CPS (Sistemas cyber-físicos) em manufatura e logística e o uso da Internet das Coisas e Serviços nos processos industriais. Neste sentido, a Indústria 4.0 inaugura uma nova era de produção industrial que encontra espaço em todos os setores industriais.

O advento da Indústria 4.0 traz implicações para a criação de valor, modelos de negócios, serviços, organização do trabalho, gestão de operações e da cadeia de suprimentos. Esse novo paradigma é baseado em sistemas ciber-físicos que permitem a digitalização dos processos fabris, capazes de combinar tecnologias de informação e máquinas com produtos inteligentes, em busca de um alto nível de eficiência operacional, produtividade e automação (Fettermann et al., 2018). O tema é recente e apresenta uma diversidade de tópicos para aprofundamento, alguns deles apresentados por Chauhan e Singh (2019).

  • Conceituação de componentes da Indústria 4.0: Manufatura inteligente, logística inteligente, produtos inteligentes, cadeias de suprimentos inteligentes
  • Princípios para implementação da Indústria 4.0: Tecnologias habilitadoras (sistemas cibernéticos, Internet das coisas, Internet dos serviços, robótica, big data, fabricação em nuvem e realidade aumentada, RFID, fabricação 3D), princípios de design (descentralização, interoperabilidade, flexibilidade, segurança e confidencialidade da informação, virtualização, capacidade em tempo real, orientação de serviço, modularidade, produto inteligente, fábrica inteligente, integração vertical, integração horizontal, personalização de produto)
  • Drivers e barreiras da Indústria 4.0: competição global, dados, tecnologias facilitadoras, clientes, como alguns drivers, frente a desafios como alto custo, falta de habilidades, falta de infraestrutura, problemas de confidencialidade de dados
  • Resultados da digitalização das Operações: impactos na competição, efeitos econômicos e sociais
  • Desempenho das cadeias de suprimentos digitalizadas: produtividade, custos, qualidade, sustentabilidade, capacidade de resposta, manufatura enxuta
  • Gerenciando cadeias de suprimentos digitalizadas: segurança de dados e leis de confidencialidade, definição de responsabilidades, diretrizes de implementação, flexibilidade
  • Engenharia colaborativa e customização: lacuna entre customização em massa e personalização em massa; preço e nível de serviço.

Gestão de Risco e Resiliência na Cadeia de Suprimentos

Líder

Profa. Dra. Susana Carla Farias Pereira
Lattes

Fundação Getúlio Vargas (FGV EAESP)

Descrição do Tema

A Gestão da Cadeia de suprimentos (Supply Chain Management – SCM) deve ter uma visão sistêmica e estratégica com o objetivo não somente de reduzir custos, mas de criar valor para o cliente e assegurar vantagem competitiva para toda a cadeia.

As primeiras pesquisas e publicações na área de SCM envolviam questões sobre relacionamento, colaboração, desempenho, integração, gestão de demanda, gestão de fornecedores e desempenho da cadeia. Essas pesquisas foram se ampliando para incluir os problemas e desafios enfrentados pelas organizações contemporâneas. Neste sentido, os estudos de SCM passaram a contemplar questões de riscos e resiliência, incluindo cadeias humanitárias, e mais recentemente os desafios da gestão de novas tecnologias e da transformação digital.

A pandemia da COVID-19 aumentou ainda mais a importância da gestão da cadeia de suprimentos uma vez que trouxe uma complexidade adicional e novos desafios para as organizações e governos. A gestão de riscos, rupturas e resiliência das operações e das cadeias se tornaram prioridade. Questões tradicionais de logística tais como estoque e distribuição de medicamentos e vacinas, localização de fornecedores, capacidade e projeto da rede atraíram a atenção de governos, profissionais das mais diferentes áreas e sociedade civil. Além disso, as interrupções das operações e cadeias devidas ao frequentes lockdowns aceleraram o desafio da digitalização da oferta e entrega de produtos e serviços.

Neste cenário turbulento e dinâmico, é fundamental fomentar uma maior interação entre a teoria e prática. Assim, teorias já existentes podem ser aplicadas e ampliadas para enfrentar o desafio de alcançar a competitividade das cadeias de suprimentos.

Considerando o histórico e a evolução dos estudos e da prática do SCM, essa área temática busca atrair artigos nos seguintes tópicos:

  • relacionamento entre fornecedores e compradores
  • planejamento e design da cadeia de suprimentos
  • risco e resiliência em cadeias
  • tomada de decisão em cadeias
  • supply chain finance
  • aprendizagem e inovação em cadeia de suprimentos
  • supply chain analytics
  • desafios e impactos das tecnologias emergentes na gestão, planejamento e design da cadeia de suprimentos

Algumas palavras-chave também podem guiar pesquisas a serem submetidas nessa área temática, como: integração na cadeia, relacionamentos, compras, logística, riscos e resiliência, modelos analíticos de tomada de decisão, desempenho da cadeia, inovação na cadeia, transformação digital, COVID-19.

Economia Circular e Sustentabilidade na Gestão de Operações e Cadeia de Suprimento

Líder

Prof. Dr. Fernando Luiz Emerenciano Viana
Lattes

PPGA UNIFOR

Descrição do tema

Ao longo dos anos, a gestão de operações tem se deparado com demandas que vão além de sua perspectiva tradicional de eficiência e produtividade. Com uma prática que considera os aspectos intra- e inter-organizacionais, percebe-se um novo olhar para o comportamento moral dos gestores e para a ética nas empresas e nas cadeias de suprimento. Ademais, urge a necessidade de estender os estudos sobre sustentabilidade das operações e cadeias de suprimento para além dos países desenvolvidos, especialmente no contexto dos países da América Latina, incluindo o Brasil.

Nesse sentido, além de se avançar em modelos de menor impacto ambiental e social, é importante se buscar modelos gestão mais transparentes, especialmente na perspectiva dos diferentes stakeholders das organizações.

Nesse contexto da busca por modelos de produção que tenham equilíbrio entre as diferentes dimensões da sustentabilidade – econômica, ambiental e social, o modelo circular de produção e as cadeias de suprimento circulares surgem como uma alternativa de grande valor, a partir da implementação dos princípios da economia circular nos níveis micro (empresas), meso (cadeias de suprimento) e macro (cidades, regiões).

Adicionalmente, é importante também considerar aspectos que têm emergido como barreiras à sustentabilidade em operações e cadeias de suprimento, em diferentes contextos, como, por exemplo, a corrupção, que pode se constituir um desafio a ser superado, ou até mesmo uma prática para contornar a adoção de padrões de sustentabilidade.

A partir desta visão, entre os possíveis tópicos para este tema destacam-se:

  • Modelos e processos de transparência em cadeias de suprimento;
  • Métodos e critérios de seleção e monitoramento socioambiental de fornecedores;
  • Desempenho e indicadores de sustentabilidade em operações, cadeias de suprimento e na economia circular;
  • Relação entre Indústria 4.0, sustentabilidade em operações e cadeias de suprimento e economia circular;
  • A dimensão social na gestão de operações, cadeias de suprimento e economia circular;
  • Princípios e práticas da economia circular;
  • Modelos de negócios circulares;
  • Contribuições da economia circular para a sustentabilidade em operações e cadeias de suprimento;
  • Desenvolvimento de produtos ou serviços sustentáveis;
  • Certificações socioambientais – motivações, implantação e resultados;
  • Corrupção em operações e cadeias de suprimento.

Tais temas demonstram a multiplicidade de possibilidade relacionadas a este tema. Assim, convidamos toda comunidade acadêmica envolvida com a economia circular e a sustentabilidade na gestão de operações e cadeias de suprimento a submeter suas pesquisas e relatos técnicos no sentido de avançar o debate sobre esta temática.